Artigos e Pesquisas

Mantenha-se informado com nossos artigos e pesquisas

CWT

 

66% dos viajantes do Brasil preferem perder um voo a ter sua bagagem extraviada

09.2019


 

Pesquisa da CWT mostrou que a maioria dos viajantes corporativos globais prefere perder um voo a ter a bagagem extraviada – sendo essa preferência mais forte nos viajantes das Américas (54%), seguidos pelos viajantes da Europa (52%) e APAC (50%). No Brasil, este número sobe para 66%

Globalmente, 54% dos viajantes preferem táxis tradicionais a serviços de aplicativos como o Lyft ou o Uber. Mas existem fortes diferenças regionais. Na Europa, 69% dos viajantes preferem os táxis; o contrário acontece em relação aos viajantes das Américas, onde 63% dos entrevistados preferem serviços de corrida compartilhada. Sendo que para os brasileiros, essa preferência chega a 66% e nos EUA a 70%.

Nas viagens aéreas, dois terços dos viajantes a negócios preferem assentos nas janelas aos assentos localizados nos corredores. Essa relação sobe para 71% na região APAC e cai para 59% nas Américas. No Brasil, 83% dos viajantes preferem janelas a assentos nos corredores.

“Essas descobertas fornecem insights fascinantes e às vezes contraintuitivos sobre como os viajantes a negócios lidam com suas jornadas”, diz Niklas Andreen, Vice-Presidente Executivo e Chief Traveler Experience Officer da CWT. "Vemos diferenças significativas entre as regiões - por exemplo, na Ásia, as pessoas têm mais probabilidade de querer um assento na janela, enquanto em mercados mais maduros, como os Estados Unidos, a vista é menos importante".

Outro dado interessante revelado pela pesquisa da CWT é que os viajantes do Brasil (68%) preferem viajar sem conexão à internet a sentar-se ao lado de um desconhecido que gosta de conversar. Ao contrário do México, onde 55% dos viajantes preferem sentar-se ao lado de um desconhecido tagarela.

Nossa pesquisa também mostra que os viajantes geralmente gostam de compartilhar suas preferências de viagem nos aplicativos e com os profissionais do segmento de viagens - globalmente, nove entre dez (89%) viajantes estão “extremamente” ou “de certa forma” dispostos a realizar essas interações.

O levantamento indica que, em geral, os viajantes europeus são os que estão menos dispostos a compartilhar informações: 14% dos viajantes da região “não estão dispostos” a compartilhar suas preferências com aplicativos ou pessoas enquanto viajam a negócios e 17% quando a viagem é a lazer. Os viajantes do Brasil têm muito menos probabilidade de se recusar a compartilhar suas preferências, sendo que 59% dos brasileiros estão dispostos a compartilhar dados da viagem a lazer e 57% a negócios.

“Entender o comportamento dos colaboradores de nossos clientes – os viajantes corporativos, é fundamental para oferecermos o serviço mais adequado e personalizado possível”, afirma Fernando Michellini, Country Director da CWT Brasil. “Cada viajante é único: há diferenças nas preferências de acordo com a região em que mora, idade e gênero, entre outros fatores. Buscamos estar sempre à frente, pensando no bem-estar e segurança do viajante em todos os momentos”.

Sobre a pesquisa

A pesquisa foi criada pela CWT e conduzida pelo Artemis Strategy Group entre os dias 29 de janeiro e 9 de fevereiro de 2019. Foram coletadas respostas de mais de 2.700 viajantes de negócios que viajaram a negócios quatro ou mais vezes nos últimos 12 meses. Os entrevistados eram das Américas (Argentina, Brasil, Canadá, México e Estados Unidos), Europa (Bélgica, França, Alemanha, Itália, Holanda, Espanha, Suécia e Reino Unido) e Ásia-Pacífico (Austrália, China, Índia, Japão, Cingapura).